Quando falamos em chapas de aço, há diferentes tipos de laminações, para diversas utilidades. Ambas são ótimas para acabamentos, e possuem a mesma composição, mas tem diferenças estruturais que você não pode desconhecer.

As chapas laminadas a quente são muito resistentes, pois são produzidas por meio da laminação de placas que formam bobinas laminadas a quente. Já a laminação a frio é um pouco mais complexa, já que as chapas são feitas a partir de bobinas laminadas a quente, porém, passam por mais etapas, como a redução a frio e o recozimento.

Sendo assim, podemos dizer que a laminação quente possui uma boa soldabilidade, tenacidade alta e resistência a peso e a pressão. Por sua vez, a laminação a frio é, em sua essência, aço laminado a quente, que teve mais processamentos, até se tornar mais mole e flexível

As chapas possuem algumas variações, obtidas pelo corte transversal de bobinas de aço carbono, e são utilizadas em dimensões variadas de sua espessura. Sua largura padrão é de 1200mm e comprimento de 2000 a 3000 mm.

Além disso, cada laminação cria chapas que podem ser usadas para produções específicas:

Chapa fina quente

Por terem uma composição química e características mecânicas, esse tipo de chapa é indicada para uso geral, como: estampagem, estrutura, estrutura de boa conformabilidade, estrutura de alta resistência mecânica e à corrosão atmosférica, tubos, entre outros.

Dessa forma, podem ser utilizadas em praticamente todos os setores econômicos, como a fabricação de rodas, pisos, longarinas, tubos metálicos, autopeças, móveis e muito mais.

Chapa fina fria

São mais resistentes devido sua maleabilidade, além disso, possuem um acabamento diferenciado. Por isso, podem ser utilizadas em segmentos como: Eletrodomésticos (linha branca); Indústria automobilística; Esquadrias; Construção Civil, entre outros.

O que achou? Se estiver precisando de algum material, pode falar conosco 😉

Enviar
Precisa de ajuda?
Olá, tudo bem?
Como podemos te ajudar?